Investimento verde: quais os princípios desse conceito?

É provável, diante da realidade na qual estamos inseridos, que você já tenha ouvido falar a respeito do conceito de investimento verde. Trata-se de uma chave, afirmam alguns estudiosos, para acelerarmos o desenvolvimento econômico, mas de modo sustentável e verde, de maneira a combater os problemas gerados pelo uso irracional de nossas riquezas naturais, como o aquecimento global.

Para saber mais a respeito desse conceito e conhecer os seus princípios, acompanhe a leitura!

Afinal, o que é investimento verde?

O investimento verde pode ser conceituado a partir de duas óticas:

1. Movimento econômico-ambiental

A primeira é que se trata de um movimento econômico-ambiental que busca, entre outras coisas, garantir um desenvolvimento econômico pautado na sustentabilidade.

Falar em sustentabilidade significa levar em conta três pilares: econômico, social e ambiental. Ou seja, há rentabilidade mas o meio ambiente também deve ser preservado, de forma a possibilitar um mundo melhor para todos: cidadãos, empresas e as gerações por vir.

O investimento verde não é apenas uma opção, como muitos ainda acreditam, mas uma necessidade diante da realidade ambiental que vivemos. A título de informação, o Brasil, em 2018, liderou o ranking de países que mais desmatam em todo o mundo. Só no ano passado, perdemos cerca de 1,3 milhão de hectares de florestas tropicais. Os dados de 2018 são do Global Forest Watch.

Além do problema do desmatamento insustentável, tem-se a emissão desenfreada de dióxido de carbono (CO2) por parte de organizações globais. Um estudo desenvolvido pela Thomson Reuters Financial & Risk, em 2017, revelou que um grupo de 250 empresas globais responde por um terço do carbono em todo o mundo e somente 30% delas estabeleceram políticas de contenção.

Diante de um cenário como esse, o investimento verde se coloca como indispensável para uma sociedade mais ambiental e verde, dentro dos padrões de qualidade esperados.

2. Investimento verde como título verde

O investimento verde também pode ser compreendido como título ecológico, que pode ser negociado por meio do mercado de ações ou valores. Aqui, as operações em torno desse título se destinam a garantir a melhoria do meio ambiente.

Princípios do investimento verde

Talvez você já tenha conseguido visualizar os princípios do investimento verde a partir do que já tratamos. Mas caso ainda reste dúvida, veja, a seguir, quais são eles a partir da visão de alguns especialistas:

• Racionalidade e eficiência na utilização e gestão dos recursos naturais;
• Investimento e valorização da economia verde;
• A criação de um mundo mais verde, de modo a garantir uma sociedade melhor para todos;
• Pouco uso de recursos que causam prejuízo ao meio ambiente, como os que derivam de fósseis;
• Aumento do uso de fonte de energia limpa e renovável;
• Práticas ambientais que busquem gerar inclusão social e erradicar a pobreza.

O investimento verde é, hoje, como vimos, mais do que apenas uma opção, e sim uma necessidade fundamental para as organizações e pessoas que desejam construir um mundo onde todos possam respirar e viver bem. É uma tendência, vale por fim dizer, tanto que foi abordado como um dos principais temas no evento paradigmático Rio + 20, ocorrido no Rio de Janeiro, em 2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
💬 Precisa de ajuda?
Olá 👋
Podemos te ajudar?
Powered by